Borduguês:

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para navegação Ir para pesquisar
Bem-vindo(a) à Desziglobédia

A enziglobédia livre de gondeúdo e gue qualguer um bode edidar.

59 942 ardigos · 200 144 imagens

Ajuda

Embaijada

Bergundas

Bolítigas

Mídia

Gondribuir

Ardigo em destague
Tom Fulp durante o desenvolvimento de Pit People.

Pit People (aka Shit People) é um game meia-boca produzido por uma organização criminosa conhecida como The Behemoth. Os piás que fizeram esse desserviço para a humanidade são: Dan Viadin, que desenhou tudo no jogo (incluindo o cuzão dos personagens); Tô Full, que programou a porra toda; e Joãozinho da Bahia, que... eu não faço a menor ideia do que ele fez. Outros trouxas que também participaram dessa merda são: Patrick Estrela, o abirobado que fez as músicas do jogo; Will Smith das Estampas, que fez a voz do Honeykiss; e Nego Ney, que publicou o jogo oficialmente em troca de uma namorada. Em janeiro de 2017, quando tinha sido finalmente finalizado, o jogo pretendia parar dentro de uma privada, só que por ironia do destino foi expelido fora do vaso.

Pit People tenta ser um jogo engraçado, só que tá mais pra ser ruim de dar dor de barriga, além de se parecer mais com um xadrez aviadado do que um próprio game em si. Ele consiste basicamente em lutinhas por turnos que se passam em um cenário apocalíptico nonsense, típico da The Behemoth. As batalhas estão recheadas de personagens extremamente inutilizáveis que não possuem nada de especial que só estão lá pra encher linguiça. O combate é extremamente vergonhoso também, é só se mexer e pronto (inovando contrariando todos os outros jogos por turnos, onde o seu personagem tem toda uma preparação pro ataque). Enfim, ninguém perguntou sobre a qualidade dessa merda, então vamos prosseguir com outras informações mais valiosas...

Compartilhe: Compartilhe via Facebook Compartilhe via Twitter



Evendos rezendes


Nezde dia...


Valando nizo, vozê zabia...


Imagem da vez
 
Abresentação
Batata desciclo sem texto.gif
Bem-vindo(a) à Desziglobédia, uma (dez)enziglobédia esgrida com a golaboração de zeus leidores. A Desziglobédia é um zite de humor debochado e seu gondeúdo não debe zer levado a zério. Dodas as nozas regras e bolídicas gonvergem para um só bringípio: zer engrazado e não abenas idioda. É um bringíbio amoral, mas que imblica numa édica subjagente. Significa que, no âmbito da Desziglobédia, só bodem ter brogedênzia as grítigas que se refiram à qualidade diverdida de um ardigo. Não tem, bordando, nenhum sendido dendar defender os méridos morais ou ardízdicos de algo que você gosta (banda, filme, personalidade, brograma, gâme, etc.) e que tenha zido zaganeado num ardigo da Desziglobédia. Ezas coizas não inderezam nem um honorável bouquinho aqui.


Bardizibação
Dodos bodem bublicar gondeúdo onrine desde que não sejam vândalos ou desresbeidem as regras. Dendre as diverzas báginas de ajuda à zua disbozizão, estão as que esbligam como griar um ardigo, edidar um ardigo ou inserir uma imagem. Em cazo de dúvidas, não hesite em bergundar e dar sua abnião.


Gomunidade
A gomunidade bem crezendo dia bós dia. Borém brezisamos de mais golaboradores para bodermos ambliar o número de ardigos em língua borduguesa e expandir, melhorar e gonzolidar os que já exisdem.


Brojetos irmãos
A Desziglobédia existe graças à entidade sem fins lucrativos Fundazam Desziglomidia. A Desziglomidia opera vários projetos em diversas línguas, sempre com gondeúdo livre:


Lista completaComeçar uma nova edição